Oficina sobre Regulamentação da Internet na América Latina

Pelo 2º ano consecutivo, o Educadigital foi uma das organizações presentes na oficina “Por uma melhor regulamentação da Internet na América Latina” organizada pela Artigo 19 em parceria com organizações como PADF, o CELE e a Fundação Karisma em quatro cidades latino-americanas (São Paulo, Buenos Aires, Bogotá e Cidade do México). O objetivo é aproximar associações e grupos com trabalho e militância na defesa dos direitos humanos com os temas relevantes do universo dos direitos digitais em diversas áreas que abarcam desde processos de ensino-aprendizagem, passando por justiça criminal, direitos socioambientais, políticas identitárias, juventude, jurisprudência até políticas públicas de comunicação e tecnologia digital. “Um dos elementos que mostram a relevância desta oficina é um recente despertar sobre a inseparabilidade entre as ações em defesa de direitos fundamentais e a vida em redes digitais”, pontuou Laura Tresca, diretora da Artigo 19. “A comunicação e as tecnologias, inseridas em um contexto de vida em sociedade, trocas culturais, afirmação de posições políticas, de identidade e batalhas jurídicas, é um campo que dificilmente subsiste separadamente dos marcos legais e éticos da defesa pela liberdade de expressão, dos direitos humanos e, em última instância da vida em sociedade.”

Estratégias pedagógicas (cri)ativas no Ensino Superior

Pelo segundo ano consecutivo, o Educadigital realizou a formação de 150 docentes de diversas áreas do saber na Unifenas, distribuídos nas unidades de Alfenas e Belo Horizonte. A oficina Metodologias (cri)Ativas foi concebida em parceria com a educadora Leila Ribeiro, diretora da Sala e facilitadora associada da iniciativa Design Thinking para Educadores. “Nossa intenção foi mostrar aos educadores que não existe uma lista de metodologias prontas a serem simplesmente aplicadas, mas sim que é fundamental criar estratégias pedagógicas que podem envolver diferentes dinâmicas ou metodologias autorais, ou seja, criadas pelos próprios professores”, ressaltou Priscila Gonsales, diretora-executiva do Educadigital. Veja mais fotos aqui.

Educação aberta e REA chegam ao CEFOR

Em uma ação inédita, o CEFOR – Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento da Câmara dos Deputados solicitou ao Educadigital uma formação ampla de um dia todo sobre como implementar uma política de educação aberta na instituição. O evento foi aberto a diversos órgãos da administração pública, tais como Superior Tribunal Federal, Tesouro Nacional, Ministério da Educação, Ministério do Planejamento, Ministério Público do Trabalho, dentre outros que desenvolvem materiais educativos. No período da manhã, uma palestra para 100 pessoas e, no período da tarde, uma oficina para 30 participantes foram conduzidas por Priscila Gonsales e Débora Sebriam.

Encontro do projeto Escolas Transformadoras

No 25 de abril, Ashoka e Alana organizaram o primeiro encontro de 2019 da comunidade ativadora do projeto Escolas Transformadoras. O objetivo foi apresentar um panorama dos últimos 6 anos de existência da iniciativa e traçar algumas possibilidades de aprimoramento, que foram refletidas e apresentadas de forma colaborativa, por meio de reflexão em grupo. Dentre as propostas, um olhar mais atento para as pautas que estão em cada escola e em cada território. Priscila Gonsales, fundadora e diretora-executiva do Educadigital, participa do grupo como fellow Ashoka.

Inovação é tema de palestra na DRE Pirituba

No dia 22 de abril, a Diretoria Regional de Ensino (DRE) Municipal de Pirituba organizou evento com professores e coordenadores pedagógicos de sua rede para terem uma palestra sobre inovação na educação, ministrada pela diretora-executiva do Educadigital, Priscila Gonsales, que falou sobre a importância de as pessoas estarem sempre no centro do processo e que o próprio processo, em si, pode ser inovador à medida que vai transformando e melhorando a realidade dos estudantes e professores envolvidos. “A inovação surge de dentro para fora, não se lança uma inovação simplesmente, mas ela é resultado de muita observação, trabalho e dedicação”, pontuou Priscila.

Oficina Design Thinking e a Jornada do Heroi

Mais uma edição da oficina Design Thinking e a Jornada do Heroi na Educação. No dia 13 de abril, sábado, em São Paulo, educadores, empreendedores e empresários que trabalham com desenvolvimento humano fizeram parte do público presente. Como nas edições anteriores, um personagem e sua jornada heroica são escolhidos como referência para as atividades. A médica Nise da Silveira, que teve um episódio de sua vida retratado no filme Nise, de Roberto Berliner, estrelado por Gloria Pires, foi a inspiração do dia. “Ao contrário do que muitos ainda pensam, a jornada do heroi não é sempre rodeada de glórias e feitos, há muitas provações e fracassos, como a vida de todos nós”, explicou Ricardo Ferrer, gamer designer e parceiro do Educadigital. Veja mais fotos aqui.

Palestra Colégio Albert Sabin

No dia 4 de abril, no encerramento do evento Conecta Sabin, organizado pelo Colégio Albert Sabin, em São Paulo, a diretora-executiva do Educadigital, Priscila Gonsales, ministrou a palestra sobre Recursos Educacionais Abertos (REA). Com a presença de cerca de 200 educadores, entre docentes, coordenadores e parceiros da escola, Priscila enfatizou o potencial de autoria e autonomia das licenças abertas de direito autoral, como as do Creative Commons. “Ao compartilhar na web um conteúdo educacional produzido, a escola está colaborando com o objetivo 4 do Desenvolvimento Sustentável da ONU, sobre educação de qualidade, inclusiva e equitativa”, ressaltou Priscila, citando exemplos de outras escolas paulistas que já criaram plataformas próprias de REA, como Dante, Porto Seguro e Pioneiro.

DT, Educação e Futuros Emergentes

Estreia da oficina realizada em parceria com o jogo Work Reboot, de Ricardo Ferrer, na Escola Gracinha, em São Paulo, reuniu educadores e alunos para prototipar soluções diante de um futuro incerto


“Reboot ou reinicialização designa uma nova versão de uma obra de ficção. Um reboot difere do remake e da prequel, que normalmente, são consistentes com o cânone previamente estabelecido. (…) Um reboot vai mais além e ignora a continuidade anterior, substituindo-a por um novo cânone.” – Wikipedia

“O nosso mundo necessita cada vez mais de pessoas treinadas em profundos graus de dúvida do que de pessoas aptas a lidar com certezas.” – Nilton Bonder, “Fronteiras da Inteligência” (Ed. Rocco).

As citações acima estão no artigo de Ricardo Ferrer sobre a proposta do seu novo jogo, Woork Reboot, ou Jogo dos Futuros Emergentes, que acaba de ser lançado, com a proposta de motivar profissionais a prototipar possibilidades de atuação profissional no futuro, ou seja, diante da incerteza.

Ao unir o Design Thinking com o jogo, a oficina buscou associar o conceito de empatia, colaboração e experimentação que a abordagem enfatiza, com o contexto  contexto VUCA, sigla criada pela a academia militar norteamericana para designar o estado atual do mundo, marcado por cada vez mais volatibilidade, mais incerteza, mais complexidade e mais ambiguidade.

“É quase certo que o valor do trabalho que, no século XX, migrou da força e produtividade para a inteligência e técnica aplicadas, irá se sutilizar ainda mais ao longo do século XXI. A sensibilidade, a capacidade de convivência, a criatividade e a intuição serão recursos cada vez mais requisitados”, pontuou Ricardo. 

Confira aqui a galeria de fotos da oficina

Ricardo Ferrer e Priscila Gonsales, facilitadores da oficina

Acervo da REliA já está integrado à Plataforma do MEC

Campanha “flex” do Catarse para construção da plataforma que indica recursos educacionais digitais com licenças aberta chega ao fim com 63 apoios 


Previsto para ser lançado no início do ano letivo de 2018, a plataforma REliA vai ser a primeira plataforma no Brasil que vai indicar recursos educacionais digitais com licenças abertas. Parte do acervo que estamos reunindo no projeto REliA já pode ser encontrada na nova Plataforma Integrada do MEC. Experimente, por exemplo, buscar “Design Thinking para Educadores”.

A equipe voluntária do Educadigital está trabalhando na categorização dos 490 objetos digitais com licença aberta que já foram mapeados para adequar os metadados para ficarem totalmente compatíveis com os que estão na plataforma do MEC. Assim, as pessoas vão poder encontrar recursos tanto na plataforma do MEC como no REliA que terá o seguinte endereço: www.relia.org.br

Para saber mais sobre a parceria do Instituto Educadigital com a Plataforma Integrada, leia aqui.

A REliA vai ser parte das atividades práticas do curso sobre Recursos Educacionais Abertos para a Universidade Aberta do Brasil (UAB-CAPES) por meio da Iniciativa Educação Aberta.

Para a sustentabilidade do projeto, uma nova campanha de financiamento colaborativo, de caráter recorrente, deve ser lançada ainda nos primeiros meses de 2018.


Curso REA para Universidade Aberta do Brasil (UAB)

Professores e pesquisadores das instituições de ensino superior participantes do sistema que leva graduação a distância para todo o Brasil terão a oportunidade de aprender mais sobre educação aberta e recursos educacionais abertos


Em desenvolvimento desde 2016 e previsto para lançar a primeira turma em março de 2018, o curso REA para a UAB está sendo finalizado pela Iniciativa Educação Aberta, parceria entre o Instituto Educadigital e a Cátedra UNESCO de Educação Aberta do Nied/Unicamp. No dia 6 de novembro, em Campinas, a equipe de moderadores do curso se reuniu para detalhar os processos da oferta do curso, incluindo procedimentos e atividades práticas que serão propostas aos participantes.

Elaborado a partir de releituras de cursos internacionais sobre o tema, assim como de iniciativas nacionais, como a da UFPR (Universidade Federal do Paraná) — primeira no Brasil a criar uma política de incentivo à produção e disponibilização de conteúdos em licença aberta que são produzidos pelos docentes — o curso REA da UAB está organizado em percursos formativos a partir de procedimentos em relação a REA, alinhados com as competências REA que foram lançadas no 2º Congresso Internacional de REA da UNESCO. Veja mais aqui.

Para preparação do curso foi realizado um mapeamento de uso e percepções sobre REA que mostrou que há muitas dúvidas em relação a domínio conceitual e prático de aspectos como o licenciamento e licenças Creative Commons. Outro ponto destacado no estudo foram os receios quanto aos direitos autorais e licenciamento. Para ler a íntegra do relatório, acesse aqui.