Educação aberta na política pública em pauta no CGI.br

Hal Plotkin, que esteve à frente da política pública de educação aberta no governo Obama, apresenta ao grupo de conselheiros do CGI.br panorama global do movimento pelos recursos educacionais abertos (REA)


A reunião de setembro do conselho consultivo do Comitê Gestor da Internet do Brasil (CGI.br) contou com a presença do atual conselheiro sênior de política pública do Creative Commons, Hal Plotkin, que também é jornalista, pesquisador e por 5 anos trabalhou no Departamento de Educação dos EUA na criação da atual política de educação aberta norte-americana. A convite do Instituto Educadigital, que integra o comitê de especialistas da pesquisa TIC Educação do Cetic.br, e da conselheira Flávia Lefévre, Plotkin veio apresentar ao grupo o crescente movimento em todo o mundo em prol dos Recursos Educacionais Abertos (REA) e a importância desse tema no desenvolvimento de habilidades e competências da cultura digital.

Autor do livro-guia Free to Learn, que orienta instituições públicas e privadas a implementar uma política de educação aberta, Plotkin ressaltou a necessidade de apoiar gestores e formuladores de política a criar estratégias e ações que garantam a educação como um direito e incentivem a compra e o subsídio à produção de materiais que sejam licenciados de maneira flexível permitindo recombinações e adaptações por professores e alunos.

Com base no livro de Hal e em outras publicações estrangeiras existentes, o Instituto Educadigital (IED) pretende elaborar, em parceria com a comunidade REA do Brasil, um Guia de Educação Aberta para gestores e formuladores de políticas públicas e institucionais que visem implementar programas e projetos mais coerentes com o desenvolvimento de competências e habilidades da cultura digital, além de favorecer o acesso a materiais financiados com recursos públicos para toda a sociedade. Para financiar o Guia, o IED vem solicitando apoio do CGI.br, que em 2012 possibilitou a elaboração do primeiro Livro REA do Brasil. “É imprescindível que uma entidade tão importante como o CGI.br, cuja estrutura de governança compreende governo, sociedade civil e empresas, favoreçam que o conhecimento sobre educação aberta chegue a mais pessoas no Brasil”, pontuou Plotkin.

Veja aqui as cartas de apoio à publicação enviada por Hal Plotkin e Cable Green, diretor de REA do Creative Commons Global.


REA: bem público e modelos de negócio

No período da tarde, Plotkin foi recebido por Alexandre Barbosa, coordenador do Cetic.br e das pesquisas TIC Educação, TIC Domicílios e Kids Online, sua equipe, e por entidades convidadas pelo Instituto Educadigital: Campanha Nacional pelo Direito à Educação, ITS-Rio, Ashoka Brasil e CIEB que conversaram com o especialista sobre REA e esclareceram dúvidas, especialmente sobre a importância de reforçar a educação como um bem público, ao mesmo tempo considerando a possibilidade de criação de novos modelos de negócio pelas editoras educacionais e edtech startups que tenham como prerrogativa a disponibilização de conteúdos em licença flexível.

Com apoio do CIEB, o Educadigital está realizando o estudo “Inovação Aberta na Educação: conceitos e modelos de negócio” que deve ser lançado em outubro e terá também um website com referências sobre o tema.

Veja também