Educadigital debate letramento crítico em dados no FIB12

Taís Wojciechowski, Daniel Pinheiro, Marcelo Buzato e Charles Pimentel palestrantes presenciais no painel sobre Letramento Crítico em Dados

Quais os desafios para o letramento digital na cultura digital contemporânea? Com esse questionamento, o Educadigital coordenou um painel sobre IA na Educação e a importância do Letramento Crítico em Dados no #FIB12. 

Realizado em Natal/RN, a  12ª segunda edição do Fórum da Internet do Brasil (FIB), apostou em temas bastante atuais em seus painéis e debates, tais como regulação de plataformas, diversidade de gênero e raça,  discriminação algorítmica, proteção de dados de crianças e adolescentes, metaverso, dentre outros. 

O painel organizado pelo Educadigital teve como ponto de partida o relatório Letramentos Digitais e Inclusão Digital no Brasil Contemporâneo elaborado pela diretora-executiva do Educadigital, Priscila Gonsales, para um workshop acadêmico realizado pela UNICAMP e Universidade de Bristol em 2021. 

O documento propõe a necessidade de revisão do conceito de letramentos a partir do avanço das tecnologias de inteligência artificial baseadas na dadificação que torna ações, atitudes e comportamentos na web em padrão informacional. No caso da educação, essa problemática é ainda mais perversa por envolver crianças e adolescentes que têm seus dados e comportamentos extraídos como matéria-prima para um modelo de negócio em ascensão

Para apoiar essa reflexão, o painel contou com Marcelo Buzato, professor da UNICAMP, pioneiro em destacar o conceito de letramento digital no Brasil na primeira década dos anos 2000, e que atualmente pesquisa letramentos pós-humanistas em tempos de dadificação. Também a pesquisadora brasileira Fernanda Rosa, professora da Virginia Tech/EUA, que investiga as relações de poder na infraestrutura da internet, um assunto praticamente subsumido nas formações para cidadania digital nas escolas.

Na sequência, duas experiências práticas, a gestora da SME-Curitiba, Taís Voiticoski,  apresentou sua pesquisa de doutorado sobre formação de professores em tecnologia a partir do pensamento complexo e o professor de matemática, Charles Pimentel, do Polo Sesc de EM, trouxe um panorama do seu trabalho com machine learning e letramento de dados em um itinerário formativo.

A moderação ficou com Daniel Pinheiro, professor da UFSB e colaborador do Educadigital e a relatoria com Tel Amiel, professor da UnB e coordenador da Cátedra UNESCO de EaD. 

Clique no vídeo abaixo para assistir a gravação:

Veja também